Mortal Shell: Primeiras impressões do novo jogo de Souls-like
Mortal Shell: Primeiras impressões do novo jogo de Souls-like — Divulgado / Playstack

Tivemos acesso antecipado de Mortal Shell que está prestes a ser lançado, e falaremos de nossas primeiras impressões sobre o jogo.

Mortal Shell é um game da Cold Symmetry, foi criado pelos quatro cofundadores, Andrew, Anton, Dimitry e Vitaly, tendo sido anunciado em maio de 2017 e finalmente será lançado pela Playstack no dia 18 de agosto de 2020.

Soulslike autêntico, desafiador e implacável

Trata-se de um jogo do gênero Soulslike, gênero dos conhecidos Dark Souls e Demon’s Souls. Porém, Mortal Shell é autêntico, desafiador e implacável, e adquiriu muita popularidade quando foi disponibilizada sua versão beta em julho de 2020, tendo a equipe afirmado que analisou e estudou o feedback que receberam dos jogadores, da comunidade, para criar algo único.

Testamos naquela ocasião a beta do game, versão que já apresentava uma excelente qualidade gráfica, cenários repletos de informações, bonitos efeitos visuais de água e fogo, sendo que os efeitos visuais criados para os combates, principalmente nos combates com o Boss de cada região, são espetaculares.

No game foi utilizada a Unreal Engine 4, que foi desenvolvido pela Epic Games, tratando-se da ferramenta de criação 3D em tempo real mais aberta e avançada do mundo. Um motor gráfico que está em contínua evolução para cumprir o seu propósito original: um mecanismo de jogo de última geração. Por isso, já era de se esperar bons efeitos visuais em Mortal Shell em que vemos uma água fluída, realista, que reage aos passos, e um fogo com chamas realistas, luz e sombra bem trabalhados, conferindo mais imersão ao jogo.

O jogo possui mecânicas autorais de jogabilidade e combate

O jogo possui uma identidade própria, com mecânicas autorais de jogabilidade e combate, iniciando o jogo com um breve tutorial para aprendemos as habilidades que são próprias do personagem que controlamos, tais como a solidificação, que serve como defesa para evitar dano de inimigos, e que pode ser utilizada mesmo com o corpo em movimento, em esquivas, rolamentos, e movimentos de ataques. A solidificação deve ser usada com prudência, pois, após ser utilizada, demora um tempo para ficar ativa essa habilidade novamente, obrigando o jogador a ser tático, estratégico em seus combates.

Mortal Shell prende a atenção e desperta curiosidade

Nossas impressões são as melhores possíveis. O jogo prende a atenção do jogador, desperta a curiosidade em conhecer sobre a região, inimigos, sobre as carapaças (shells) que vamos encontrando na jornada, e sobre a história do jogo.

Como geralmente ocorre em jogos Soulslike, é preciso explorar o território para explorar todos os itens disponíveis, o que precisa ser feito mesmo na parte do tutorial, itens esses que poderão ajudar em nossa jornada em busca de um significado de nosso personagem, a razão por que precisa de carapaças (shells) para poder lutar, bem como a história de cada uma dessas carapaças que tratam-se, em verdade, de corpos de guerreiros que caíram em batalhas possuindo cada uma dessas carapaças habilidades próprias e que podem servir para se estabelecer estratégias de combate, principalmente contra o boss principal de cada área.

O gráfico, embora não tenhamos notado alguma diferença discrepante da versão beta, é muito bonito. A movimentação do personagem e dos inimigos tem peso, assim como os golpes desferidos por nós e pelos inimigos. Efeitos sonoros de cada arma que usamos e das armas únicas de cada inimigo são bem trabalhados.

Pontos positivos de Mortal Shell

Vamos destacar os principais pontos positivos do jogo que encontramos até o momento, considerando que não encerramos ainda o jogo, acusando também as características que levam o jogador a ser mais tático e estratégico:

  • (1) diversidade de habilidades de cada shell e habilidades próprias do personagem, o que confere dinamismo aos combates; Cada Shell, carapaça, possui habilidades próprias, características próprias de vida e estamina também, possuindo, em comum, a habilidade de dar um chute forte no inimigo, e também as habilidades próprias do personagem como se solidificar;
  • (2) gráficos bem trabalhados; em se tratando de uma empresa indie, com poucas pessoas trabalhando no jogo, é de se admirar a qualidade gráfica, com cenários bem construídos, inimigos dispostos em lugares estratégicos para surpreender o jogador, inimigos com vestes e biotipos próprios que andam junto e podem atacar em conjunto para dificultar o combate, podendo ser explorado o cenário e utilizar características próprias dele para favorecer no combate; é utilizada a Unreal Engine 4, então efeitos de água e fogo são realmente surpreendentes;
  • (3) efeitos sonoros únicos de cada arma, tanto das armas que adquirimos, como das dos inimigos, sendo que o som das armas dos inimigos confere clima de tensão e apreensão fazendo o jogador agir com cautela só de ouvir o som;
  • (4) diversidade de inimigos. Foi muito bom ver que inimigos possuem move sets diferentes, principalmente os mais fortes, existindo mini boss em algumas setores, conferindo mais dificuldade;
  • (5) habilidades próprias de cada inimigo. Trata-se de algo essencial num jogo soulslike que inimigos possuem habilidades próprias, ou com determinadas armas, ou com movimentação única deixando o combate mais desafiador;
  • (6) inimigos atacarem simultaneamente. Sendo um soulslike, continua a máxima de atrair inimigos de forma individual para abater um por vez; porém, tem situações que é impossível fazer isso exigindo mais tática e estratégia do jogador para dar conta de inimigos atacando de forma simultânea, principalmente quando tem arqueiros e inimigos com armas de curto ou longo alcance;
  • (7) inimigos que estão em grupo esperam uma aproximação maior do jogador para provocar que outros inimigos reajam juntos à essa aproximação para atacar em conjunto. Ou seja, nem todo inimigo vai se deixar atrair para combater sozinho ficando de longe fazendo gestos de provocação para que o jogador se antecipe e se aproxime;
  • (8) vários caminhos para explorar em cada região fazendo com o que o jogador tenha o apetite pela exploração. Jogo Soulslike exige exploração para coletar itens únicos, ou quantidade de itens que podem ajudar no combate, sendo que alguns itens possuem um tempo até poderem ser coletados de novo, como o welcap, chamado em português de “píleo do mundo” que regenera a barra de vida por 30 segundos;
  • (9) presença de túneis que servem para explorar novas áreas e para cortar caminhos, mas que às vezes fazem com que se surja em local mais próximo de inimigos não vistos, o que pode ser problemático se tiver muitos inimigos provocando combate com todos ao mesmo tempo;
  • (10) som ambiente conferindo sensação de suspense, terror, deixando o jogador apreensivo;
  • (11) imersão, pois, mesmo com alguns problemas de sons e bugs, que são poucos, o jogador fica imerso e concentrado no jogo;
  • (12) Boss de cada região com habilidades únicas que precisam ser estudados para serem derrotados;
  • (13) aumento da eficiência do item utilizado várias vezes, pois, ao utilizar um item cresce a familiaridade com o mesmo aumentando sua eficiência, o que é bem interessante e faz com que o jogador tenha de utilizar todos os itens coletados;
  • (14) revelação da história em cada região explorada, com cada habilidade desbloqueada, e em diálogos com NPCs;

Aspectos negativos que precisariam ser corrigidos

Também destacamos alguns pontos negativos por afetarem a jogabilidade e a longa vida do jogo que experimentamos até o momento do jogo que chegamos a explorar, lembrando novamente que não encerramos o jogo ainda, então, algum desses aspectos pode vir a sofrer mudanças.

  • (1) não encontramos, em mais de 7 horas de jogo, a possibilidade de fast travel, a viagem rápida. Destacamos isso porque as shells e armas ficam numa câmara em Fallgrim, na primeira região explorada e, em todo o tempo em que jogamos o jogo, cumprindo repisar que não zeramos ele ainda, não encontramos até o momento o fast travel que é conhecido pelas bonfires em jogos Soulslike, conferindo a possibilidade de viajar entre regiões já exploradas através de pontos de controle. E, se por alguma razão, se usa um item para invocar uma arma, e não se tem o item para invocar a arma que se estava utilizando, se perde a possibilidade de voltar a utiliza-la, o que pode mudar totalmente a estratégia de combate uma vez que cada arma confere poder de dano diferente; porém, já tivemos conhecimento que em determinado momento do jogo se adquire uma máscara ornamentada vendida pela Irmã Genessa que custaria 30 vislumbres, mas ainda não adquirimos esse item para confirmar a informação;
  • (2) sons de inimigos distantes que parecem estar do nosso lado, como se estivessem próximos de nós, gerando confusão sobre a localização deles, fazendo o jogador pensar que o inimigo está perto, ficando mais apreensivo, afetando a jogabilidade porque a estratégia é necessária em todos os combates, pois, se tiver mais de um inimigo para enfrentar ao mesmo tempo, isso pode levar à morte do personagem se não tiver como administrar o combate;
  • (3) alguns tipos de bugs como inimigo ficar travado em algum trecho, inimigo ficar em pé depois de ter sido derrotado, inimigo não tomar dano pelo golpe corretamente desferido;
  • (4) não poder trocar de armas ao acessar o inventário; não poder trocar de shell de forma livre, uma vez que parece não ter armadura para farmar e combinar peças, como ocorre em Dark Souls, por exemplo; ausência de multiplayer na forma cooperativa;
  • (5) não poder upar ou amentar habilidades como força, estamina, destreza, inteligência, fé, etc., como ocorre em jogos como Dark Souls;
  • (6) existir um uso limitado das efígies das carapaças (shells) para trocar uma pela outra, não sendo possível a troca livre de uma carapaça pela outra, sendo algo a ser contabilizado ao mudar de shell porque a troca faz perder um pouco de vitalidade;

Conclusão das primeiras impressões

Mortal Shell esbanja qualidade gráfica e de jogabilidade tática e estratégica. É um jogo que prende a atenção e faz querer que se continue jogando e descobrindo tudo o que ele proporciona.

Quem gosta de jogos de gênero Soulslike certamente não irá se arrepender de dar uma chance para o jogo que na Epic Games Store para PC está custando R$ 89,99, e futuramente também será disponibilizado na Steam para PC, e também será lançado para Playstation 4, Xbox One.

Iremos trazer mais informações sobre Mortal Shell, gameplays e lives, então fique atento no site meugamer.com e no canal do Youtube do meugamer.

Mortal Shell: Souls-like indie autêntico, desafiador e implacável: Uma experiência espetacular.felippecascadocg
9
out of 10.
2020-08-18T02:48:21-0300

1 COMENTÁRIO

Gamernéfilos, comente aqui!

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.