Outbreak: The New Nightmare, produzido pela Dead Drop Studios LLC é uma evidente homenagem ao jogos de residente evil.

É um pequeno survival horror que tenta proporcionar uma experiência cooperativa intensa, a estrutura do jogo é considerada bastante rígida em termos de movimento e combate. No entanto, é como um jogo de sobrevivência tradicional. A associação ao game clássico entre nós, players, seria animadora se não fossem alguns detalhes que serão descritos nessa Review.

Entramos em uma experiência de terror de sobrevivência implacável enquanto você luta por sua vida contra as adversidades opressivas. Os horrores do Hospital Arzt Memorial foram apenas o começo do surto. À medida que a infecção se espalhava pela cidade, a aplicação da lei local diminuiu rapidamente. Você agora se encontra preso em uma paisagem infernal com apenas alguns sobreviventes restantes. Vasculhe o ambiente em busca de suprimentos, enfrente os mortos-vivos e faça de tudo para sobreviver. Jogue o jogo inteiro sozinho ou em modo cooperativo em tela dividida local. 

O jogo foi “maciçamente atualizado” desde o lançamento original da Steam, incluindo a adição de modo cooperativo em tela dividida local, atualizações gráficas e de desempenho, melhorias de IA, bem como novos conteúdos e armas.

A versão para o ps4 recebeu algumas melhorias , as quais, infelizmente, não foram suficientes.

GAMEPLAY:

No menu principal, observamos inúmeras opções , podemos ler sobre a história presente do jogo, biografias, opções de jogabilidade, cenários onde desejamos jogar, nada é bloqueado. Temos as dificuldades do normal ao modo pesadelo.

Durante a gameplay, você irá notar que o inventário é bem limitado, devemos ficar atentos e explorar o cenário em busca de novos itens e armas. Elas ocupam espaço em seu inventário, e alguns dos personagens escolhidos podem carregar uma quantidade maior de itens que o outro.

Durante o jogo, me deparei com alguns problemas de desempenho ao andar pelo cenário, além da própria animação do personagem que não coopera. O modo de caminhar também chama a atenção, não sendo o mais belo encontrado em um jogo. Não importa o cenário que você esteja , a jogabilidade será sempre a mesma os problemas continuam até mesmo a questão de localização, muitas vezes dando a sensação de tentar entender para onde estamos indo.A tela de inventário lembra imediatamente residente evil , incluindo um medidor de batimentos cardíacos.

Ok, houve uma tentativa de criar um jogo retomando as raízes do residente evil ,o esforço é notado, porém , talvez a falta de recursos para o desenvolvimento do jogo atrapalharam o processo.

Você notará que os itens ficam em locais onde podem ser vistos com facilidade , jogos desse gênero costumam limitar o número de munição  e armas e não eh o caso de outbreak . Temos de forma generosa , porém as faltas contidas no jogo acabam atrapalhando o uso dos recursos presentes.

Ao tentar eliminar um zumbi , precisei de uma quantidade de tiros substanciais e o som não combinava com a animação durante o processo.

A câmera….o que dizer da câmera? Um total pesadelo….o posicionamento da câmera pode atrapalhar e muito durante o jogo, tem momentos que sequer conseguimos ver por onde estamos entrando ou seguindo , quando somos mortos fora da visão da câmera nem sequer podemos acompanhar o que houve ou o que está acontecendo. Em muitos momentos o uso de armas corpo a corpo pode ser inviável ( fica a dica)

Não espere um bom resultado com um machado, por exemplo , esses ataques costumam ser lentos , mesmo que sua mira seja boa!

Durante a campanha, devemos vencer o cenário com apenas uma vida, se morrer, irá direto para o menu principal . Seremos compensado com um sistema de XP e poderá subir de nivel. Só que temos um porém, cada pensonagem deve ser upado por vez , cabe a nós players a decisão se devemos lidar com os problemas presentes no jogo por 6 vezes seguidas com 6 personagens diferentes.

Outbreak tenta capturar o visual e o mapa dos clássicos do estilo. O design dos inimigos é sempre o mesmo e em um jogo sem puzzles presentes em que o único objetivo praticamente é eliminar tais inimigos, pode ser bem repetitivo.

GRÁFICOS

Ao olhar para os visuais apresentados, é difícil não criticar quase tudo na tela. Eu nem sinto que esses gráficos sejam dignos de jogos atuais. Modelos de personagens parecem absolutamente hilários às vezes. Seu personagem anda como se estivesse aprendendo a patinar no gelo. E a sombra repleta de pixels?Os próprios personagens têm contornos horrivelmente pixelados.

Armas e objetos ,deitados no chão, eles parecem enormes. As facas são do tamanho de espadas e as “gloriosas chaves de ouro” (nome real de uma chave no jogo) são enormes, literalmente , enormes!

Incêndios em vários locais queimam ociosamente no meio das salas, sem nenhum traço de propagação. Não há realmente necessidade de tê-lo na maioria dos ambientes.

A iluminação era útil, mas parecia subdesenvolvida. Às vezes, você veria luzes refletidas em outra sala que desafiavam o funcionamento dos reflexos. Outras vezes, veríamos luzes vindo de baixo do lixo no chão que tinha uma luz próxima. Novamente, não houve um cuidado no desenvolvimento.

Os menus parecem extremamente basicos quando você olha para eles. Esta é a primeira coisa que você vê ao inicializar o jogo, por isso é um aviso do que está por vir. Obviamente, um menu ruim não significa um produto ruim, mas a apresentação dá o tom do que é esperado.

SOM

O som deixa muito a desejar. São tão genéricos quanto parecem, mas, adequados ao projeto entregue. Zumbis gemem à distância, sem pistas direcionais de onde eles podem estar. As armas também tem seus problemas. Soam como algo estourando em um ambiente com uma acústica ruim.

VALE A PENA JOGAR?

Não, Outbreak: The New Nightmare não é um irmão mais novo de Residente Evil e muito menos um jogo que consiga trazer de volta a maestria dos jogos de terror. Precisa de otimizações , uma personalidade que lhe falta e poderia ter sido melhor desenvolvido antes de chegar aos players finais. Parece ter sido feito as pressas , sem um cuidado necessário. Se você quer apenas atirar em alguns zumbis e não se importa com a jogabilidade e os movimentos um tanto quanto limitados, contando com a parte gráfica simplória, este jogo é para você. Se sua realidade condiz com a necessidade de gráficos perfeitos e um jogo fluído, desenvolvido com bastante recurso, este não é o caso.

Positivo:

Possui um conteúdo variado e da liberdade ao jogador de explorar todos os cenários sem uma opção de desbloqueio, o que ajuda em relação a limitação de jogabilidade.

Negativo:

Problemas de frames são irritantes
As animações não são das melhores
As câmeras atrapalham em vez de ajudar
O carregamento do jogo é longo
Falta de puzzles
Não tem personalidade

Gamernéfilos, comente aqui!

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.