Crítica | Encantado animação

Encantado, a nova animação de John H. Willian (produtor de shrek) e com direção de Ross Venokur chega aos cinemas trazendo a história do Príncipe Encantado, dublado por Leonardo Cidade na versão brasileira, príncipe cujo batizado foi amaldiçoado pela personagem e grande vilã da historia Madame Morgana.

A maldição faz com que todas as mulheres do reino se apaixonem por ele e só pode ser quebrada com um beijo do amor verdadeiro até que complete 21 anos, caso contrário o Reino estará condenado para sempre.

Como nada é simples em se tratando de histórias de aventuras e desafios, o príncipe deve seguir até o topo da montanha de fogo, enfrentando 3 desafios mortais: atravessar um caminho inacessível , sobreviver a um ataque mortal e enfrentar um monstro feroz.

Para isso , uma ladra chamada Leonora , dublada por Larissa Manuela, aceita a missão em troca de sua liberdade para acompanhar o príncipe nessa missão arriscada, no entanto , usa um disfarce para que o príncipe pense que tem um colega de missão e não apenas uma moça indefesa em sua jornada, cujo nome será lenny.

 

O desenho trata de forma simples a busca do amor e o verdadeiro significado da confiança no próximo e em si mesmo.

A participação das 3 possíveis noivas de encantado , Cinderela , bela adormecida e branca de neve rende um dos melhores momentos da animação.

Infelizmente os momentos musicais não agradam aos ouvidos mais sensíveis , com dublagem originais de Demi LoVato e Sia, a versão brasileira não ficou a altura do original.

Encantado é uma animação que pode agradar aos mais jovens e deixa um gostinho de quero mais aos adultos acostumados com as tiradas sempre engraçadas das animações atuais.

Bom para uma sessão da tarde sem grandes pretensões.

Gamernéfilos, comente aqui!

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.