Attack on Titan, ou “Shingeki No Kyojin” em japonês, é uma obra com uma grande base de fãs e bem avaliado tanto pela crítica especializada quanto pelos espectadores em geral, ocupando atualmente o segundo lugar da lista de animes mais populares do site My Anime List e contando com pontuação média de 8.47 de um total de mais de um milhão e seiscentos mil votos de usuários do site. Grande parte deste sucesso se deve à adaptação para a televisão que era produzida pelo renomado estúdio Wit, entregando sempre uma animação consistente, fluida, incrementando sequências de combate com cenas extras e contando com Hiroyuki Sawano –compositor experiente e famoso por seus trabalhos em animes, filmes e séries japonesas – para a produção de grande parte das trilhas sonoras.


Após três temporadas produzidas com excelência técnica pelo estúdio Wit, o estúdio Mappa, responsável por adaptar a última temporada da série, tem que enfrentar o desafio de atender às altas expectativas dos fãs. Apesar de alterações no design, maior uso de computação gráfica juntamente com as cenas 2D e o importante posto de compositor sendo passado para Kohta Yamamoto, aluno de Hiroyuki Sawano, a qualidade técnica continuava acima da média e agradando a maior parte dos espectadores. Todavia, a situação mudou de figura após o episódio 5 da quarta temporada, lançado no dia 11 de janeiro. Uma quantidade considerável de fãs da série, em sua maioria leitores do material original – o mangá – resolveram demonstrar sua indignação com uma cena de cerca de 30 segundos no episódio de forma agressiva. Poucas horas após o fim da exibição, o perfil pessoal no Twitter (@teriteri5) do diretor do episódio, Teruyuki Omine, foi bombardeado de mensagens depreciativas, contendo até mesmo ameaças. A maioria das reclamações foram a respeito da trilha sonora mais neutra e coadjuvante em uma cena importante para consolidar o amadurecimento psicológico do protagonista para a audiência e criar tensão para o novo arco que vinha sendo introduzido. O ataque foi capaz de incomodar o diretor de episódio, fazendo com que tornasse sua conta privada temporariamente.

(Legenda) Um dos tweets depreciativos enviados. Tradução livre: “@teriteri5, por favor, me diga que não será responsável pela adaptação do capítulo 122 para o anime e ficarei feliz. Você falhou em atender as expectativas dos leitores do mangá que esperaram anos por este único momento. Não arruíne ‘o estrondo’, por favor. Só dê o anime para a Madhouse.”

(Legenda) Resposta do autor aos ataques. Tradução livre: “Esta é uma conta privada de um membro da produção do anime. Conteúdos que não são de meu interesse estão aparecendo agora. Por favor, parem todos os RT, sejam positivos ou negativos. Eu não quero incomodar empresa ou o autor original. Eu espero que esta situação se acalme. Obrigado a todos.”

Atualmente, grande parte dos comentários depreciativos e ameaças foram apagados. Além disso, uma quantidade ainda maior de pessoas saiu em defesa de Teruyuki Omine, elogiando seu trabalho.

Gamernéfilos, comente aqui!

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.