X4 Foundations é a tão aguardada sequência da Série X, desenvolvido pelo pessoal da Egosoft, sequência essa que está visivelmente bem mais ambiciosa e maior (assim como os desenvolvedores tinham prometido). Nós do site Meugamer estamos tendo a oportunidade de jogar o game em acesso antecipado e trazemos para vocês uma análise a respeito. Também é possível conferir 30 minutos de gameplay do jogo sem comentário abaixo.

Quero deixar bem claro aqui que todas as comparações dessa análise foram com base ao antecessor de X4Foundations, o game X3Terran Conflict. Fora o X4, o X3 foi único contato que tive com a franquia no geral. 

Explore o Universo e Faça Sua Própria História 

Aqui começamos com um dos poucos pontos fracos presente no game, X4: Foundations não possui uma história (um plano de fundo) a ser seguida pelos jogadores, nem mesmo introdução alguma (diferente de seu antecessor X3), o jogo simplesmente coloca os jogadores em algum ponto da galáxia (universo) e eles devem seguir a partir desse ponto criando sua própria história. 

Por ser um game no estilo SandBox, as possibilidades são infinitas aqui, dentre elas: como os jogadores vão iniciar sua história (se decidirão seguir um caminho mais correto ou se vão simplesmente atacar todo mundo e conquistar o universo na força), com quais naves vão preferir jogar (naves mais pequenas e rápidas para combates ou grandes naves que carregam tripulações maiores), quais facções serão suas aliadas, mineração de recursos, contratos de novos membros para a tripulação, compra de peças e armas para customização das naves, em fim, aqui o jogador estará livre para fazer exatamente tudo que quiser e terá disponível várias maneiras de montar seu império e dominar  o universo. 

Complexidade e Diversão 

Antes de começar a falar da jogabilidade é importante ressaltar um aspecto muito legal no game, X4: Foundations agora conta com Tutoriais. Aqui os jogadores passarão por uma série de testes (na prática) para que se ajustem as (a) mecânicas/jogabilidade do jogo. Essa é uma novidade muito bem vinda à franquia X (já que seu antecessor o X3, não contava com tutoriais), sendo um ponto extremamente positivo, algo que complementa muito bem e que não deixa os jogadores perdidos ao iniciar sua jornada. 

Com relação à jogabilidade, a franquia sempre nos apresentou uma dinâmica incrível e com X4 não poderia ser diferente. O game nos apresenta um universo muito maior que seu antecessor (X3), com isso, a exploração enriquece muito, os jogadores são instigados o tempo todo a explorar as várias novas áreas que o pessoal da Egosoft criou. 

Seguindo essa premissa, com a grande expansão do universo em X4, também existe a expansão de variedades de lugares os quais podem ser minerados.  A mineração por sua vez, é um dos pontos mais importantes no game (senão for o mais), uma vez que é a responsável por garantir fundos (créditos ou favor, que correspondem ao dinheiro no jogo) ao jogador. Outro ponto importante, a mineração bem sucedida é quem vai ditar o ritmo da evolução dos jogadores, pois, o sistema de evolução interno do game é bem lento. 

Já os combates, de longe são a melhor parte do game, são intensos, bem movimentados e ao mesmo tempo são estratégicos. Aqui estão disponíveis diversas formas de combate, desde comandar naves menores, porém, mais rápidas, até comandar naves de carga contendo uma frota completa, os jogadores quem decidem a melhor forma de ir para combate. 

Em X4: Foundations também nos é apresentada outra inovação, a possibilidade de jogar em primeira pessoa fora das naves, algo que deveria aumentar a dinâmica no game, no entanto, é algo que não acrescentou muito, uma vez que essa novidade foi usada apenas em pontos de transição do game (estações e passadiços de naves) e na maioria do tempo você provavelmente estará pilotando uma nave.  

Tudo isso somado a: montar sua própria tripulação (contratar novos membros), fazer alianças (com as diferentes facções presentes no game), customizar sua nave (desde armas há propulsores de velocidade), diálogos bem intuitivos (com um sistema de escolhas parecido com o de Mass Effect, por exemplo), uma variedade incrível de missões e uma fluidez muito boa (menos em pontos de transições). Esses são elementos que tornam o game super dinâmico e divertido. 

Mas não se enganem, pois, os games da série X são conhecidos por serem complexos e aqui não é diferente. São muitos comandos, muitos menus, muitas informações e muitos elementos na tela, o que deixa qualquer um perdido (pelo menos de início). Por que enfatizei o fato de X4 apresentar tutoriais? Porque aqui se mostra a necessidade deles, ter o mínimo de informação faz toda a diferença e poder contar com tutoriais (algo que não é comum na franquia) em um game tão complexo, torna esse fato um dos pontos mais fortes apresentados. Pode até parecer brincadeira, mas mesmo o game contando com tutoriais, o seu grau de complexidade ainda é muito grande. Resumindo, X4: Foundations não é pra qualquer um, tem que gostar muito do estilo. 

Gráficos e Desempenho 

Os gráficos do game estão bonitos (nada tão impressionante), apresentando um nível de detalhes bem bacana (tanto no espaço, quanto no interior de uma nave ou estação), cores vivas e um universo que no geral está bem trabalhado. 

Já os problemas de desempenho presentes no game, para a felicidade de todos, são problemas pequenos que não afetam de forma bruta e nem quebram a gameplay.  Bugs pequenos como atravessar objetos (ou outras naves) e travar em determinados objetos dos cenários estão presentes. Mas o principal problema apresentado vem com uma das inovações que o game traz, a possibilidade de jogar em primeira pessoa fora das naves. Por que é um problema? Porque os pontos de transição (principalmente as estações) possuem um fluxo constante de naves chegando e saindo (muita informação para o game renderizar ao mesmo tempo), acrescente a esse fato, a presença dos jogadores (do personagem) e o resultado são quedas de frames bruscas.  

Aproveitando que estou falando do visual do jogo, quero deixar outra observação muito importante. Apesar de X4 oferecer legendas em português (o que é muito legal e demonstra apreço para com os fãs brasileiros), existe um pequeno (literalmente pequeno) problema. Todas as legendas, incluindo menus e conversações, são extremamente pequenas e não existe a possibilidade de aumentá-las. Esse é um ponto bem negativo, pois, se chega a incomodar até quem enxerga bem, imagina quem tem problemas de visão (algum grau de miopia)? 

Bom, vale lembrar que o game está em acesso antecipado e esse fato pode ser corrigido a qualquer momento.  

Pontos Fortes e Pontos Fracos 

Pontos Fortes 

  • Tutoriais Intuitivos (na prática) 
  • Universo vasto para ser explorado 
  • Variedade de Missões 
  • Variedade de Naves 

Pontos Fracos 

  • Alguns Bugs pequenos estão presentes 
  • Quedas bruscas de frames em pontos de transição 
  • A possibilidade de andar e interagir fora das naves não acrescenta muito 
  • Sistema de progressão lento 
  • Legendas extremamente pequenas (sem opção de aumentá-las) 

Conclusão 

O game X4: Foundations nos apresenta um universo vasto para ser explorado, muitas possibilidades de montar um império, uma dinâmica (jogabilidade) incrível, gráficos bonitos e agradáveis, desempenho muito bom (fora alguns pequenos problemas que não comprometem seriamente a gameplay) e ao mesmo tempo uma complexidade muito grande (com diversos menus, comandos e recursos).  

Fato é, X4 é mais um excelente game da franquia e nos proporciona uma experiência muito boa e divertida, consideravelmente maior se comparado ao seu antecessor X3 e sem dúvidas promete ser o melhor título da franquia. 

X4 Foundations: Game complexo, dinâmico e estratégico. No fim é uma experiência muito divertida e rica.ken_nascimento
8
out of 10.
2020-08-27T16:20:31-0300

Gamernéfilos, comente aqui!

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.