A Quantic Dream desenvolvedora do jogo Detroit: Become Human, lançado para o Playstation e PC, conseguiu anulação de processo sobre acusação de comportamento tóxico. O processo que caminhava nos autos, e em 2018, a empresa perdeu o processo para um ex-funcionário que foi demitido. Na última semana, o tribunal francês foi a favor da empresa alegando que as imagens supostamente “photoshopadas” com caricaturas e montagens não feriam a moral dos funcionários.

Continua após a publicidade.

No processo, o funcionário se dizia vítima de homofobia e racismo, e sofria preconceito entre os demais companheiros de trabalho, mas, novos documentos apresentados, constatou que as alegações eram infundadas. O autor do processo ainda poderá recorrer e tentar um novo julgamento.

Ademais, a Quantic Dream declarou em um comunicado no seu site oficial que, respeita todas as pessoas sem acepção:

“A Quantic Dream reafirma mais uma vez os valores que o estúdio sempre defendeu nos jogos e dentro da empresa, que são os valores do humanismo, da inclusão e do direito de os indivíduos se expressarem de forma única. Continuaremos a defendê-los com a mesma paixão e determinação como sempre. Quantic Dream permanece firmemente comprometida em continuar a trabalhar com seus funcionários para criar um ambiente de trabalho sereno propício ao desenvolvimento profissional e pessoal e à realização de todos. “.

Porém, em outro caso de processo ligado às imagens editadas, a empresa foi considerada culpada por violar a obrigação de segurança que tem para os seus funcionários. Conforme informado pelo site GamesIndustry.

Gamernéfilos, também consideramos que todos os ambientes devem ser saudáveis para cada pessoa. Somos contra qualquer tipo de preconceito e abusos por parte de pessoas que não tem empatia com o próximo.

Gamernéfilos, comente aqui!

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.