Ubisoft confirma saída de funcionários do alto escalão após acusações de assédio
Ubisoft confirma saída de funcionários do alto escalão — Foto: Divulgação / Ubisoft

A Ubisoft, desenvolvedora de games como as franquias “Far Cry”, “Assassin’s Creed” e “Watch Dogs”, divulgou uma nota onde alega estar passando por um processo interno de investigações contra abusos e assédios de funcionários.


“Há respeito das recentes alegações de abusos e assédios por parte de alguns membros de nossa empresa: nós gostaríamos de dizer que sentimos muito e pedimos desculpas há todos os envolvidos no incidente.”


Seguindo com as declarações: “Nós nos dedicamos em criar um ambiente inclusivo e seguro para todos nossos membros, jogadores e comunidades. Está claro que no passado falhamos em algumas ocasiões. Devemos ser melhores agora. Com o suporte de uma consultoria especializada, lançamos um grande processo interno de investigações e baseado nos resultados, tomaremos todas e quaisquer medidas disciplinares necessárias (legais) contra os envolvidos. Como a investigação ainda está em andamento não podemos divulgar mais sobre este caso. Nós também estamos comprometidos em implementar medidas que melhorem nosso sistema interno e previnam que tais ações voltem há acontecer.”. Declaração divulgada no site EW.

Contextualização

Nessa declaração divulgada pela Ubisoft, fica claro que a empresa está tomando medidas internas não só para punir os culpados, mas para melhoria da empresa em si, fato esse que corrobora com alegações anteriores da Ubisoft de que revisões e mudanças em suas diretrizes seriam feitas.
Logo após as investigações terem se iniciado, a Ubisoft anunciou a saída de Serge Hascoet, Yannis Mallat (Chefe dos Estúdios Canadenses da Ubisoft), Cecile Cornet (Chefe de recursos Humanos) e alguns outros funcionários dentre eles Ashraf Ismail (Ubisoft Montreal, diretor de criação de Assassin’s Creed Valhalla).
O jornalista especializado em games Jason Schreier do Bloomberg News postou sobre o caso em seu tweeter na última semana:

Jason Schreier: “Isso é coisa grande pra Ubisoft. Serge Hascoêt era o homem encarregado de todos os games da empresa. Com uma única palavra ele podia acender a luz verde de um projeto ou cancelá-lo. Muitos outros funcionários acreditavam que ele fosse intocável e insubstituível não importando quantas alegações tivessem contra ele.”.
Já Yannis Mallat renunciou ao seu cargo, pois, a situação ficou insustentável de se manter devido há muitas alegações contra ele e muitos outros funcionários no Canadá, dentre eles Ashraf Ismail o agora ex-diretor de criação de Assassin’s Creed Valhalla.
Cécile Cornet renunciou ao cargo por conta própria, acreditando ser o melhor para ela e para a Ubisoft.
E aí Gamernéfilos, qual a opinião de vocês sobre essa confusão toda? Deixem nos comentários abaixo.

Nova fase da empresa?

[Atualização]Com o afastamento dos seus funcionários (— agora ex-funcionários), a empresa divulgou uma última nota sobre sua nova fase, durante o “Ubisoft Forward” no último domingo (12).[Fim da atualização]

Todas as mudanças fazem parte de um grande conjunto de iniciativas anunciadas aos funcionários em 2 de julho de 2020 e que estão direcionando o renovado compromisso da Ubisoft de oferecer um ambiente que orgulhe seus profissionais, parceiros e comunidades de jogadores, refletindo os valores da companhia e sendo seguro para todos.

Yves Guillemot, CEO e cofundador da Ubisoft. Declarou que as mudanças são necessárias para um melhor ambiente entre os funcionários. Agora resta saber qual será o futuro da Ubisoft.

Gamernéfilos, comente aqui!

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.