Introdução

Antes de mais nada, quero deixar claro que foi um imenso prazer escrever sobre Resident Evil. Poder escrever um artigo sobre essa franquia maravilhosa me proporcionou extrema gratidão. Além disso, Resident Evil está completando 25 anos em 2021 e esse feito não é para qualquer um não. A Capcom está de parabéns, pois, cativar jogadores do mundo todo desde 1996 não é uma tarefa fácil.

Atualmente, já contando Resident Evil 8: Village (que chega em Maio de 2021), temos 8 títulos canônicos, bem como vários outros games paralelos (spin-off). A franquia é extensa e traz diferentes abordagens, em outras palavras, tem para todos os gostos. Nesta última parte do artigo irei abordar os dois títulos mais recentes da série, Resident Evil 7 e Resident Evil 8: Village. Enfim, O Legado de Resident Evil reina absoluto!

Importante: Primordialmente, este artigo tem como base os games canônicos (games numerados) do universo Resident Evil, além de suas origens e expectativas para o futuro. Ou seja, linhas de produtos como: livros, filmes, séries e até mesmo os games paralelos aos canônicos, ficaram de fora. Portanto, adianto que pretendo criar outro artigo dedicado exclusivamente aos games paralelos de Resident Evil.

Resident Evil 7 (2017)

Foto Divulgação / Capcom

Sobretudo, Resident Evil 6 teve uma recepção nada amigável (apesar de vender bem). A tentativa da Capcom de agradar todos os estilos de jogadores (com quatro campanhas diferentes) não deu muito certo. Ainda mais, o sexto capítulo da série definitivamente dividiu os fãs. Enquanto alguns gostavam de uma campanha ou outra, a grande maioria alegou que o título era uma bagunça total; e que não representava mais a real essência da franquia original. Esse fato também refletiu nos bastidores da Capcom, haviam discussões frequentes com relação ao rumo que o próximo título tomaria.

Seja como for, somente em 2014 que o sétimo capítulo da série começou a ganhar vida. Para dirigir o projeto a Capcom chamou Kōshi Nakanishi e para produzir Masachika Kawata. Escutando os fãs, o plano era trazer o survival horror (horror de sobrevivência) de volta; para tanto, foi desenvolvido o RE Engine (Motor Gráfico), exclusivo da franquia de games Resident Evil, que proporcionava a realidade e texturas que eles queriam. Do mesmo modo, o game Resident Evil 7 também foi planejado para ser em primeira pessoa, pois, assim a imersão dos jogadores seria maior. Além disso, o título também estava sendo desenvolvido para ganhar uma versão em VR – Virtual Reality (Realidade Virtual).

Portanto, outro ponto importante foi o fato de que a Capcom decidiu recriar, sem se esquecer dos títulos anteriores ou apagar fatos já apresentados. Agora, a empresa apostou em um Reboot da franquia! Afinal, esse Reboot afetaria apenas o clima (atmosfera do game), personagens, estilo de game e a qualidade gráfica.

Curiosidade: Resident Evil 7 foi o primeiro game da franquia que utilizou o novo RE Engine (Motor Gráfico).

A Família Baker

No ano de 2017, o game Resident Evil 7, dirigido por Kōshi Nakanishi e produzido por Masachika Kawata, chegou para aterrorizar todo mundo; literalmente fez muito marmanjo gritar. Além disso, no sétimo capítulo da série nada de Chris (apesar de ele estar de volta), Leon, Claire, Jill ou Rebecca no protagonismo.

O enredo de RE7 gira em torno de Ethan Winters; um civil comum que em Julho de 2017 recebe uma mensagem de sua esposa, Mia Winters, que estava desaparecida nos últimos 3 anos. A mensagem de Mia leva Ethan até a cidade de Dulvey no estado da Louisiana nos Estados Unidos, mais especificamente até uma propriedade bem misteriosa. Apesar de Ethan encontrar Mia e ficar muito feliz em saber que sua esposa está viva, o rapaz logo percebe que aquela propriedade pertence à Família Baker e que eles não são tão receptivos. Enfim, uma jornada insana se iniciava!

Curiosidade: Ethan Winters é o único protagonista (dos games cronológicos da franquia) que não tem o rosto revelado. Será que com seu retorno confirmado em Resident Evil 8: Village ele finalmente aparecerá para os jogadores?

Curiosidade: O game Resident Evil 7 teve como grande inspiração o filme clássico “The Evil Dead” (A Morte do Demônio no Brasil). Essa inspiração é bem nítida e os jogadores podem ver diversas referências ao longa durante a gameplay.

Curiosidade: Os filmes “Jogos Mortais”, “O Chamado” e “O Massacre da Serra Elétrica”, também inspiraram RE7. Ao longo da história os jogadores mais atentos notarão as referências presentes.

Franquia Repaginada

Primordialmente, o survival horror voltou a ser o foco principal. Graças ao novo RE Engine, a qualidade gráfica e as texturas deram um salto enorme, salto nunca antes visto na franquia. Além disso, esse fato contribuiu muito para a incrível atmosfera de terror criada; apresentando visuais extremamente realistas e inspirados nos clássicos de terror do universo dos cinemas. Todavia, Kōshi e Kawata ainda tiveram a brilhante ideia de mudar mais uma vez o posicionamento de câmera (visão dos jogadores); deixando para trás o já famoso estilo em terceira pessoa (com a câmera sobre o ombro do protagonista). O que garantiu aos jogadores uma imersão gigantesca.

Elementos como gerenciamento de recursos, puzzles (enigmas), perseguições, jump scares (técnicas para assustar o público de forma súbita), exploração e batalhas icônicas que remetem ao período de ouro da franquia, estão de volta. Chris Redfiled (de Resident Evil 5 e Resident Evil 6) também está de volta, porém, totalmente repaginado (algo que não agradou muito o público); e assumindo um novo papel (que pelo menos no início deixou muitos fãs confusos).

Agora, substituindo os Zumbis, os Las Plagas e os J’Avos, temos os “Mofados”; que são basicamente mofo, uma bactéria hiper-evoluída gerada por Eveline (a antagonista de RE7). Essa nova B.O.W. – Bio-Organic Weapon (Arma Bio-Orgânica) é simplesmente bizarra e requer muita habilidade dos jogadores para ser derrotada! Outro ponto importante (e nostálgico) é o retorno das salas de save, que são neutras e servem de porto seguro para os jogadores. Além disso, os gravadores, assim como as já saudosas máquinas de escrever, servem para salvar o game. Por fim, os baús de itens também retornam desde sua participação em Resident Evil 3: NEMESIS, bem como a conhecida mecânica de examinar/combinar itens.

Expansões e Modos Extras

Primeiramente, além da campanha principal de Ethan, Resident Evil 7 ainda ganhou duas expansões para a história. Em Not a Hero (Não Um Herói) temos Chris Redfield no encalço do inteligente Lucas Baker (após os acontecimentos de Ethan). Já em End of Zoe (O Fim de Zoe) temos Joe Baker (irmão de Jack Baker, ou seja, tio de Zoe) em uma tentativa desesperada de resgate; na qual o destino de Zoe está em suas mãos (literalmente). Contudo, o título ainda conta com modos extras muito bons como: Daughters (Filhas); Bedroom (O Quarto); Blackjack (21 – Vinte Um); Ethan Must Die (Ethan Deve Morrer); Nightmare (Pesadelo) e Jack’s 55th Birthday (55º Aniversário de Jack). Definitivamente, todos excelentes e muito divertidos!

Miscellaneous (Diversos)

Curiosidade: Resident Evil 7 é o primeiro título cronológico (canônico ou numerado se preferir) a ter uma jogabilidade em primeira pessoa. Vale lembrar que existem outros cinco títulos spin-off (derivado ou paralelo) que exploram essa mesma dinâmica, são eles: Resident Evil Survivor e Survivor 2 CODE: VERONICA; Resident Evil Dead Aim; Resident Evil The Umbrella Chronicles e Resident Evil The Darkside Chronicles.

Curiosidade: Jun Takeuchi, que trabalhou na produção de Resident Evil 5, foi um dos grandes responsáveis por fazer a franquia voltar às suas origens; o survival horror (horror de sobrevivência). Graças a ele Resident Evil 7 resgatou a essência do terror!

Curiosidade: Muitos fãs acreditam que a DEMO de “Silent Hill P.T.” também inspirou os trabalhos em Resident Evil 7. Realmente, lembra muito!

Curiosidade: A lenda urbana “Bloody Mary” também está presente no sétimo capítulo da série. Bloody Mary é o nome do navio que encalha nos pântanos próximos a propriedade dos Bakers; e também é onde Mia Winters se aventura em uma determinada parte do game.

Curiosidade: O escritor (roteirista) Richard Pearsey, que trabalhou na franquia de games F.E.A.R., foi o responsável pelo roteiro de Resident Evil 7. Talvez por isso Eveline (de Resident Evil 7) seja tão parecida com Alma Wade do game F.E.A.R. (não apenas fisicamente, mas sim em conceito também).

Confira abaixo uma galeria de imagens do game Resident Evil 7:

Resident Evil 8: Village (2021)

Foto Divulgação / Capcom

Acima de tudo, o game Resident Evil 7 foi um sucesso! Contudo, os únicos dois pontos que até hoje levantam discussões dentre os fãs da franquia são, o fato de a Capcom não ter trazido um protagonista já conhecido no título e a câmera em primeira pessoa. Porém, os números do sétimo capítulo da série surpreendem, pois, RE7 passou a ser o 1º game mais vendido da franquia; com mais de 8 milhões de cópias vendidas.

Além disso, no Platinum Titles (ranking dos games mais vendidos da Capcom) Resident Evil 7 só perde para Monster Hunter: World; que vendeu um pouco mais de 16 milhões de cópias. Já Resident Evil 2 Remake fica no 3º lugar (segundo game mais vendido da franquia com 7,8 milhões de cópias vendidas); seguido por Resident Evil 5 que ocupa o 4º lugar (terceiro game mais vendido da franquia, também com 7,8 milhões de cópias vendidas); e Resident Evil 6 no 5º lugar (quarto game mais vendido da franquia com 7,7 milhões de cópias vendidas). Definitivamente, é sucesso atrás de sucesso!

Nova Trama Novos problemas

Sobretudo, chegamos ao mais recente (e último deste artigo) anúncio da Capcom; Resident Evil 8 (Biohazard 8 no Japão) ou para aqueles que preferirem Resident Evil: Village (Biohazard: Village no Japão). O oitavo capítulo da série foi anunciado de maneira oficial em 2020, especificamente no evento de revelação do PlayStation 5; e promete ser uma continuação direta de Resident Evil 7. Além disso, Ethan Winters e Mia Winters (protagonistas de RE7) retornam para está sequência. Ambos estão levando uma vida tranquila quando Chris Redfield (que também retorna) decide aparecer, desencadeando eventos que acabam com a paz da Família Winters. Em outras palavras, Chris leva a bebê deles! Ethan então decide buscar respostas, saber o porquê de Chris estar agindo daquela forma. Como resultado, eis que mais uma vez o rapaz inicia uma jornada insana, uma jornada cujo final…

Capcom Inovando

A princípio, Resident Evil: Village ganhou várias informações oficiais; e o ponto mais relevante para os fãs foi o Resident Evil Showcase que ocorreu no dia 21 de Janeiro. No evento oficial da Capcom foi revelada a gameplay do game que permanece no mesmo estilo de Resident Evil 7. Nesse sentido, teremos mais uma vez toda a imersão que a jogabilidade em primeira pessoa oferece; bem como a presença de novos elementos (que remetem ao universo RPG), são eles: personalização de armas; muita exploração; compra e venda de itens; receitas para criação; e compra de munições (pela primeira vez na franquia). Além disso, Ethan ainda poderá coletar materiais no decorrer da história e com eles fabricar itens consumíveis.

Curiosidade: O game Resident Evil: Village, assim como Resident Evil 4, contará com Merchant (O Comerciante). O nome do Comerciante será Duque e ele será o responsável por oferecer aos jogadores quase todos os elementos citados à cima. Portanto, esperem boas surpresas com relação a esse personagem.

Curiosidade: Village contará com um sistema de inventário baseado em gerenciamento de espaço. O Inventário será muito parecido com uma maleta, essa é uma inspiração direta de Resident Evil 4.

Com relação aos inimigos, o oitavo capítulo da série possuirá uma variedade bem interessante (particularmente estou ansioso para poder ver esse aspecto do game). Desde criaturas que se deslocam com velocidade e que perseguem implacavelmente, até as misteriosas filhas da Lady Dimitrescu (Alcina Dimitrescu); capazes de se transformar em enxames de insetos. Esse variado elenco de antagonistas tem muitas formas diferentes de atacar. Portanto, os jogadores terão que se adaptar rapidamente e decidir quando atacar, defender ou fugir para sobreviver.

Curiosidade: Agora, Ethan conta com um chute em seu repertório de ações para afastar os inimigos e ganhar tempo para decidir seu próximo movimento.

Maiden (Donzela)

Antes de mais nada, outro ponto importante revelado foi a DEMO (Demonstração) intitulada de Maiden (Donzela), exclusiva para a plataforma PlayStation 5. Na DEMO conhecemos a história de uma garota, cujo a identidade não é revelada, que tem como principal objetivo escapar do Castelo Dimitrescu. Além disso, vale ressaltar que Maiden (Donzela) não se passa no mesmo tempo da história de Ethan, porém, de certa forma existem ligações. Por fim, o Resident Evil Showcase ainda apresentou “RE:Verse”, o modo multiplayer de Resident Evil: Village; uma versão melhorada de Resistance que foi apresentado em Resident Evil 3 Remake.

Confira abaixo uma galeria de imagens do game Resident Evil: Village:

Expectativas para Village

Com o próximo título da Capcom“Resident Evil: Village” chegando em 7 de Maio e com todas as informações oficiais apresentadas até agora, já conseguimos ter um vislumbre do que nos aguarda no próximo game da franquia. Particularmente eu gosto muito de Resident Evil 7 e se Village for metade do que o capítulo anterior foi, teremos coisa boa à caminho.

Importante dizer que independente de ser em primeira pessoa ou não, o futuro da série está rumando para histórias mais macabras; totalmente focadas no survival horror (horror de sobrevivência). Seja como for, a Capcom está sempre buscando inovar a franquia! Com todos os novos elementos (muitos deles são elementos de RPG’s) anunciados até agora, Village de longe será o Resident Evil mais diferente (inovador). Nesse sentido, como fã (alucinado) de games de terror, de games do estilo survival horror, fico muito animado e com as expectativas nas alturas. Afinal, tudo o que podemos fazer é esperar, Maio está logo aí e então poderemos conferir o que foi preparado de fato.

Fontes de Pesquisa

Apesar de este artigo ser autoral, existiu um trabalho de pesquisa bruto para poder trazer para vocês conteúdo de qualidade e confiável. Eu não estaria sendo uma pessoa honesta se não desse o devido crédito as principais fontes, nas quais pesquisei e busquei informações mais detalhadas. Informações como datas, locais e até mesmo algumas curiosidades em específico, foram fundamentais para a credibilidade deste documento. Dessa forma, deixo aqui em destaque as Fontes de Pesquisa que me auxiliaram nessa empreitada:

  • Resident Evil Portal
  • Resident Evil.NET
  • Resident Evil Fandom
  • Revil
  • Resident Evil Database

Fim

Você também pode acompanhar o MeUGamer nas redes sociais: Instagram, Twitter, e se inscrever no nosso canal do YouTube.

icon

Gamernéfilos, comente aqui!

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.