Um novo episódio da saga Wonder Boy / Monster World está no horizonte: Wonder Boy: Ashain Monster World será lançado em abril no Japão.

Continua após a publicidade.

O jogo traz consigo elementos bem conhecidos, incluindo a protagonista Asha, mas também um novo estilo gráfico, aproximando a saga ao misturar o 2D clássico com a modelagem 3D de alguns de seus elementos, mantendo um sentimento old-school com um pequeno toque.

Ryuichi Nishizawa, diretor do título e da mente histórica por trás da saga, explicou o motivo de sua escolha, na verdade, motivado por vários fatores contingentes, que levaram este novo jogo em direções diferentes de Wonder Boy: The Dragon’s Trap.

Em primeiro lugar, Nishizawa explicou que trabalhar com 3D é muito mais prático: a criação de elementos poligonais ocorre em etapas e cada modificação ou experimentação é uma questão de minutos, quando todos os elementos estão disponíveis. Os elementos 2D, por outro lado, são fixos e todas as modificações devem ser feitas à mão, redesenhando tudo de forma meticulosa.

Se o designer deseja experimentar ou mudar algo, mesmo que mínimo, ele deve primeiro pedir a intervenção dos designers, o que envolve uma perda de tempo, energia e dinheiro, por algo que pode nem ter uma implementação real. Os elementos em 3D são muito mais maleáveis ​​e praticamente gerenciáveis.

Nishizawa faz questão de especificar que a abordagem gráfica também tem um impacto na jogabilidade e que uma experiência de jogo 2D não é exatamente replicável em 3D. Em casos como esses, o termo 2.5D é geralmente usado, mas a tentativa será levar Wonder Boy: Asha no Monster World para territórios desconhecidos “se aventurando no espaço 3D mais agressivamente” do que o normal.

Será que iremos gostar?  O próprio Nishizawa não consegue explicar em palavras, convida a descobrir diretamente jogando o título!

Confira a cobertura completa de Wonder Boy: Asha in Monster World aqui pelo site MeuGamer.

Gamernéfilos, comente aqui!

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.