A saga continua com Disgaea 6: Defiance of Destiny, e mantém a essência dos jogos anteriores, porém sempre inovando dentro de seu gênero, o SRPG (Strategy Role-Playing), sendo um subgênero no gênero de RPG, que incorpora os elementos tradicionais dos RPGs com uma ênfase em jogabilidade estratégica, fazendo toda a diferença nesse jogo, que mistura humor, estratégia e uma boa história.

A história começa com flashback nos mostrando o protagonista Zed invadindo um encontro do alto escalão dos representantes dos poderes do Netherworld e dessa forma é explicado como conseguiram derrotar o Deus da Destruição. Zed é um garoto zumbi arrogante , orgulhoso de seu poder e não admite que ninguém seja considerado mais forte que ele.Ele parte em jornada para derrotar o Deus da Destruição que aprisionou sua irmã Bieko. Zed usufrui de uma magia proibida poderosíssima chamada “Super Reincarnation” (Super Reencarnação), que faz com que ele transcenda a morte e entre em um ciclo de reencarnação toda vez que é morto, retornando ainda mais forte. A história vai se desenrolando, você e seu cachorro enfrentam alguns capangas e Zed continua sem ser levado a sério. Ao longo do jogo, nossa equipe aumenta,permitindo montar estratégias mais elaboradas, explorar melhor o território e utilizar combos mais elaborados.

Jogabilidade

As batalhas acontecem em cenários com visão isométrica com o terreno dividido em grades para facilitar a locomoção e posicionamento da equipe.

Em cada rodada temos a visão dos inimigos do cenário e dentro desses turnos nossa equipe se alterna na movimentação e realização de ataques ou defesas. A mecânica é simples, se assemelha a uma partida de xadrez.

Em Disgaea o carro chefe 6 é o sistema de reencarnação Super, onde usamos pontos de mana e karma, obtifos em conquistas chamadas D-Merits.

Através da mana, podemos realizar a reencarnação do personagem e graças ao carma, podemos atualizar as estatísticas e habilidades de um personagem seguindo a tradição do estilo RPG onde melhoramos nossos personagens gradativamente.

Temos controle total sobre os personagens da equipe, porém, se o jogador é apressado ou está sem forças para jogar, pode usar o sistema de batalha automático onde a inteligência artificial do jogo toma as decisões de combate.

Qualquer personagem pode pegar outro e arremessar em vez de atacar em seu turno, é uma ótima opção para se aproximar mais rápido do inimigo, ou fugir dele. Também é possível empilhar a sua equipe em forma de torre, assim ocupando menos espaço em campo e centralizando a ação.

Geo Panels e Geo Symbols são uma grande parte de qualquer jogo da saga, e Disgaea 6 não é exceção.Em alguns mapas, você pode ser capaz de lançar um “Ally Boost” em um painel e energizar seus amigos. Em certas ocasiões sua equipe precisa destruir um símbolo com um efeito negativo que pode diminuir os atributos da equipe. A primeira vista tudo parece muito complexo, mas vale a pena usar os esses efeitos geográficos entre as rodadas para aproveitar o máximo o poder da equipe e ganhar vantagem tática a cada rodada. O jogo parece bem fácil, pois nossa equipe tira de letra os combates iniciais, porém, ao longo da gameplay, a dificuldade aumenta, iniciando um ciclo de desafios pelo caminho.

Gráficos

Agora falando dos gráficos temos uma mudança muito boa, pois a série que costumava usar sprites em 2D e agora usa visuais tridimensionais nos cenários e personagens tornando tudo mais bonito e imersivo. Existem três opções de vídeo em Disgaea 6: Graphics, onde os gráficos do jogo são o foco e oferece a melhor qualidade visual; Balanced, O jogo oferece um balanço entre gráficos e performance que foca em dar mais Frames por Segundo durante a gameplay. Jogando na Dock testei no modo “Graphics” e tudo fui muito bem, sem travamentos ou problemas visuais, porém no modo portátil tive que mudar para a configuração “Performance”, pois teve quedas de fps e lags, nesse modo o jogo fica mais estável, porém com gráficos levemente borrados.

No jogo, temos o mapa principal onde temos acesso aos outros mundos do jogo e diversos NPCs que nos auxiliam na jornada. Temos o Cheat Shop para nivelar ou tornar mais difíceis seus inimigos, podemos modificar a porcentagem ganha de mana durante os combates, dinheiro, e experiência ganha por inimigo derrotado. O Item World é um mundo onde podemos fortalecer itens que utilizamos. A Dark Assembly traz opções de aprimoramento e facilidades dentro do jogo.

Por exemplo, no Skill Shop podemos aprender ou aprimorar as habilidades especiais de nossos personagens em troca de mana. Para terminar temos o Juice Bar, permitindo distribuir pontos para os personagens de uma forma bem próxima dos RPGs tradicionais.

Trilha Sonora

Além disso, a trilha sonora do jogo é bem empolgante e remete as músicas de jogos anteriores para o jogador se sentir mais a vontade. Contamos com músicas bem elaboradas que casam bem em cada cenário e não ficam repetitivas com o tempo.

Gamerdito

Por fim, chego a conclusão que Disgaea 6: Defiance of Destiny é um ótimo jogo de SRPG Estratégico e que faz jus aos jogos anteriores da franquia, pois traz inovações e elementos de combate que torna o jogo muito divertido e prático para jogadores veteranos ou novatos além de toda a portabilidade que o Nintendo Switch oferece.

Nota para Disgaea 6 Defiance of Destiny: 8

O gameplay você pode conferir abaixo:

Disgaea 6: Defiance of Destiny

Disgaea 6: Defiance of Destiny: Disgaea 6, continua elevando o nome da franquia com sua característica marcante que é a ironia, e ganhando novos fãs no ocidente.chubbs
8
out of 10.
2021-07-09T21:06:33-0300

Gamernéfilos, comente aqui!

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.