Star Wars é uma franquia que fez muitas gerações sonhar com o desconhecido, usando suas imaginações ou realmente buscando uma forma de agregar conhecimento em projetos relacionados de astrofísica, astronomia, aeroespacial, entre outras. Sendo assim, fiquei aficionado pelo céu profundo durante toda minha infância, imaginando como seria pilolar um X-Wing tornando-me um fã da saga de Star Wars.

Quando ouvi que o próximo título predecessor de Star Wars Jedi: Fallen Order colocaria os jogadores dentro das cabines do cockpit de um X-Wing, TiE Fighters, Tie Interceptors, Tie Bombers —; foi algo inspirador e animador. Ademais, com os rumores confirmados do novo projeto piloto chamado Maverick. Vazado na época pela PSN Europa firmou ainda mais os rumores, posteriormente confirmado pela Electronic Arts como Star Wars: Squadrons em 12 de junho deste ano.

Os envolvidos no projeto

A Motive Studios mesmo estúdios envolvido no Battlefront 2 e responsável por Star Wars: Squadrons, apesar que a DICE era o principal desenvolvedor do Battlefront 2 de 2017. Dito isto, colocaremos nosso capacete e vamos viajar por uma galáxia tão… tão distante; inspiradas por possibilidades imagináveis, a bordo entre duas facções para escolher do Império Galáctico e Nova República.

O jogo se passa no tempo após a Batalha de Endor e a destruição da “Segunda Estrela da Morte” ,ou seja, ao fim de Star Wars: O Retorno de Jedi, quando a Nova República está lutando contra o Império Galáctico.

Com um hiato bastante longo, Squadrons, seria um jogo para conquistar de vez os verdadeiros fãs do lado da força e do lado negro. Porém, às oito horas gastas para explorar o espaço e locais icônicos foi uma experiência mais longa do que se esperava.

A ideia de controlar os caças e seus adjacentes tentando explorar um lado de simulação, funciona em partes. O problema é uma situação de pouco realismo, não que pilotar um X-Wing ou caças TIE em primeira pessoa seja ruim. A Motive trouxe aspectos únicos para a Saga, visto nos filmes de Star Wars, como contorna os inimigos, acelerar com potência total ou equalizar energia do sistema de armas para os propulsores e ganhar velocidade, além de poder de fogo maior contra os inimigos.

Tudo isso, funciona no jogo, como citado acima. Mesmo sendo inteiramente dentro do cockpit, e com visão bastante limitada, algo que tira toda sensibilidade de poder observar o que está ao seu redor, resta utilizar o radar em nosso painel de controle. Drifting são artifícios legais para tirar vantagem do inimigo dentro do embate; usando manobras evasivas e pulando para de trás das naves. Algo bastante utilizado no modo multiplayer, mas, contarei mais à frente.

Sabendo o básico, vamos adentrar na história de Star Wars: Squadrons, não colocarei spoilers, podem ficar tranquilos. Como profissional, daqui em diante, falarei como um crítico de jogos e não mais como um fã.

Embora, posso dizer que a EA juntamente com Motive Studios, foram corajosas ao trazer um título inspirados totalmente no corpo de pilotos do universo Star Wars.

Ao iniciar, somos apresentados há alguns personagens, e tomamos conhecimentos da real situação que se passa a guerra, isso vale para qualquer um dos lados que escolhemos , no início de nossa jornada.
O famoso “oba oba” do momento nostálgico, nos privam de perceber os maçantes diálogos sem profundidade e dublagem que mais parecem que os dubladores estão simplesmente em uma audição para um longa de animação de filme B, lendo o roteiro ao invés de interpretar, já que suas vozes não transmitem emoções.
Depois de um longo diálogo enfrentamos nossa primeira missão e ao longo da trama a Nova República tenta montar um novo projeto intitulado Starhawk, que aniquilaria de vez o resto do Império. Abaixo início do gameplay sem comentários.

Hangar, atirar e hangar

Sua rotina será voltar ao hangar e descobrir sobre a próxima missão e assim por diante, parece repetitivo? Sim, é repetitivo! Pois, fique ciente, o jogo é voltado exatamente para embates entre naves. Logo, é absurdamente normal, que isso faça parte do nicho do jogo. Além disso, entre idas e vindas, abrimos nosso inventário e personalizamos nosso personagem para descontrair entre suas missões.

Star Wars: Squadrons é uma aventura espacial de Shoot ‘em up moderno. Partindo para o lado eloquente, é prazeroso derrotar um inimigo e sentir o gosto de vitória, mas afirmo, ao longo da experiência de jogo perdi toda sensibilidade de comemorar, ao ponto de torcer para ser surpreendido em cada nova missão.

Excelente para realidade virtual?

Não podemos movimentar nosso ângulo de câmera, tornando uma visão fixa. Em contrapartida, é excelente para jogadores que tenham em mãos uma opção de VR, no caso do Playstation VR.
É nítido como seus gráficos, encaixam-se perfeitamente na perspectiva de visão em primeira pessoa, utilizando um VR. Sua sensação de profundidade é renovada ao ponto de ter uma nova perspectiva do jogo. Talvez, possamos dividir nossa experiência de jogo entre os consoles, pc e a realidade virtual.

Multiplayer 5v5

Algo que funcionou muito bem, foi o modo multiplayer trazendo embates de 5 contra 5 online, quando desenvolvi minhas impressões, haviam apenas dois modos para batalhar, o primeiro Team Deathmatch e Fleet Battles, focado em destruir alvos específicos.
Ao todo, estavam liberados seis mapas para escolher no lançamento, no Deathmatch temos que alcançar o maior número de mortes primeiro. Situações que aprendemos no modo história, será colocado em xeque no modo online. Visto que os adversários não são mais apenas meros IA, mas sim, jogadores reais, querendo provar que são tão bons quanto você —; Aumentando todo aquele drama no qual encontramos quando jogamos online. Outro fator surpreendente, é o fato do jogo ter sido lançado sem nenhum tipo de micro-transações , necessários vencer ou melhorar seu personagem, ponto positivo para EA. As customizações são satisfatórias no multiplayer.

Gamerdito

Star Wars: Squadrons atrairá jogadores fãs de jogos de simulador de voo e fãs da franquia Star War, além de despertar a curiosidade de novos jogadores, com a força da nostalgia ao seu lado, onde pilotar um X-Wing é o ponto chave para aventurar-se dentro do jogo. Com excelente experiência para quem tiver em posse de um PSVR, algo único para ter uma visão mais aprofundada. Futuras atualizações para o multiplayer podem deixar os embates mais frenéticos.

Se gosta de jogos do gênero é uma uma ótima pedida para passar o tempo sozinho ou com os amigos no modo multijogador.

PrósContras
Agradável para fãs de jogos de simulador de voo
Nostalgia
Excelente suporte para PlayStation VR
Boa Personalização multiplayer
Sem microtransações
Enredo pouco inspirador
Dinâmica repetitiva nas missões
Personagens pouco marcantes
Diálogos rasos dos dubladores
Poucos modos e mapas em multiplayer

Agrademos a Electronic Arts por ter cedido o jogo na versão de PC para nossa análise. Star Wars: Squadrons, pode ser encontrado direto no EA Play.

Star Wars: Squadrons: Star Wars: Squadrons é um jogo voltado para um público específico e que tem um ar nostálgico para os fãs da franquia.Jefão Calheiro
7.5
out of 10.
2020-10-28T15:17:19-0300

Gamernéfilos, comente aqui!

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.