Antes de mais nada, quem é Geoff Keighley? Ele é uma pessoal igualmente como eu e você que está lendo esta publicação! Em entrevista concedida ao The Washington Post o criador do The Game Awards revelou melhor não se posicionar contra a Activision Blizzard. Mas apenas em se concentrar nos jogos que eles podem entregar para indústria dos games.

Continua após a publicidade.

Como vi nos comentários na rede social do Twitter, usuários terem ficados decepcionados com o host do evento. Keightley, pode ser até entusiasta na indústria, no entanto, posso falar com convicção que você não jogará nada que ele indiciou. Ainda afirmo, não menosprezar nenhuma voz! Porém, analisando o âmbito ao seu redor, pensando como empresário, seu evento necessita de investidores. Certamente, essa questão pesou em sua decisão de fala — estou supondo que tenha sido, — o que ele pode ter pensado em outras possibilidades.

É diferente, de uma Microsoft, Nintendo e Playstation se unirem para cobrar de Bobby Kotick, Ceo e mandachuva da Activision. Geoff considero um peão de xadrez, e sua troca seria inevitável caso abra a boca para falar algo, além do que lhe é permitido. Com sua substituição antes que percebemos.

O Game Awards retorna este ano com a cerimônia presencial no Los Angeles, no Microsoft Theatre, em 9 de dezembro. Após o último ano se tornado virtual devido à pandemia do covid-19.

Por fim, também não havia noticiado nenhuma publicação sobre a Blizzard, estou preparando uma experiência pessoal para os gamernérfilos. Nela vou comparar toda situação da empresa para o nosso mundo real, baseado na minha anedótica.

Gamernéfilos, comente aqui!

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.